Патологическая анатомия / Педиатрия / Патологическая физиология / Оториноларингология / Организация системы здравоохранения / Онкология / Неврология и нейрохирургия / Наследственные, генные болезни / Кожные и венерические болезни / История медицины / Инфекционные заболевания / Иммунология и аллергология / Гематология / Валеология / Интенсивная терапия, анестезиология и реанимация, первая помощь / Гигиена и санэпидконтроль / Кардиология / Ветеринария / Вирусология / Внутренние болезни / Акушерство и гинекология Parasitologia médica / Anatomia patológica / Pediatria / Fisiologia patológica / Otorrinolaringologia / Organização de um sistema de saúde / Oncologia / Neurologia e neurocirurgia / Hereditária, doenças genéticas / Pele e doenças sexualmente transmissíveis / História médica / Doenças infecciosas / Imunologia e alergologia / Hematologia / Valeologia / Cuidados intensivos, anestesiologia e terapia intensiva, primeiros socorros / Higiene e controle sanitário e epidemiológico / Cardiologia / Medicina veterinária / Virologia / Medicina interna / Obstetrícia e ginecologia
Página inicial
Sobre o projeto
Notícias médicas
Para autores
Livros licenciados sobre medicina
<< Anterior Próximo >>

Malformações genitais

Definição de um conceito. Os distúrbios congênitos da estrutura anatômica dos órgãos genitais (VNASH) devido à organogênese incompleta são comumente referidos como anormalidades no desenvolvimento dos órgãos genitais do corpo feminino. O VNASG se manifesta em violação do tamanho, forma, proporções, simetria, topografia e, às vezes, a ausência (privada ou completa) dos órgãos genitais.

Frequência Segundo dados da OMS de 1967, a frequência de VNASG era de 1 em 10.000 recém-nascidos. Entre todas as malformações do VNASG representam 4% [20]. Diferentes formas de VNASG são encontradas em diferentes frequências. Portanto, a agenesia vaginal é de 1 caso por 5.000 mulheres [68], síndrome de Rokytansky-Küster - 1 por 4.000-5.000 mulheres [118], a ausência completa de tubos não é descrita na literatura. Informações sobre a frequência de VNASG em adolescentes, registradas em clínicas onde pacientes com patologias complexas estão concentradas, são contraditórias - de 0,3 a 12,4% [20, 78]. Segundo o nosso centro, o VNASG representa 2,7% dos pacientes operados; de 24 815 pacientes do Departamento de Ginecologia Operatória no período de 1958 a 1967, 730 tinham VNASG, dos quais 174 tinham 6 meses de idade. até 15 anos. Segundo A. G. Kurbanova [30], a aplasia do útero e da vagina equivale a 1,8% na estrutura do VNASH, malformações com retenção completa de sangue menstrual - 0,55%, com atraso unilateral - 0,27%, sem retardar a saída de sangue menstrual - 0,1%, formas raras - 0,05% da quantidade total de VNASG.

Etiologia e patogênese. Sob a influência de vários fatores exógenos e endógenos, a embriogênese genital pode ser prejudicada em qualquer estágio de 3 a 20 semanas. gestação [121]. A ocorrência de malformações genitais é baseada na falta de fusão das seções caudais das passagens de Müller, desvios nas transformações do seio urogenital e no curso patológico da organogênese da gônada.

306

3.3 Malformações genitais

Nem sempre é possível estabelecer a natureza do fator prejudicial durante o desenvolvimento do VNASG [71, 77]. Resumindo os dados da literatura, podem ser distinguidos três grupos de razões que contribuem para o surgimento do VNASH: hereditário, exógeno e multifatorial.

Tentativas de identificar a condição hereditária de uma malformação genital específica não forneceram evidências indiscutíveis a favor desse mecanismo. Alguns pesquisadores [58] acreditam que os distúrbios são herdados de maneira autossômica dominante, e o gene mutante é transmitido por homens sem nenhuma manifestação clínica dos defeitos do sistema reprodutivo. EA Kirillova [18] acredita que mutações poligênicas estão subjacentes à síndrome de Rockytansky - Küster - atresia do terço inferior da vagina. DW Cramer [77] não exclui a possibilidade de uma condição hereditária da síndrome de Rokytansky - Küster, com base no fato de que pacientes com esta doença e suas mães encontraram uma violação do metabolismo da galactose. No experimento, foi confirmada a dependência do aparecimento de malformações vaginais no metabolismo da galactose. Foi demonstrado que na prole de roedores alimentados com uma dieta com alto teor de galactose, não apenas foram observadas malformações da vagina, mas também um pequeno marcador de ovócito.

A maioria dos pesquisadores acredita que a herança multivariada é mais provável de ocorrer quando o VNASH ocorre [1, 18, 71]. O VNASG ocorre principalmente nas condições patológicas do ambiente intra-uterino, que reduzem a resistência do genoma a fatores patológicos ou aceleram a manifestação de defeitos existentes no genótipo. Mães de meninas com VNASG costumam ter uma gravidez patológica: toxicose precoce e tardia (25%), desnutrição (18%), infecções nos estágios iniciais da gestação (de 5 a 25%). Riscos ocupacionais, intoxicação farmacológica e doméstica e doenças extra-genitais foram observados em 20% das mães cujas filhas sofriam de VNASG [20]. Nas últimas décadas, o aparecimento de anormalidades do epitélio genital (adenose e pseudo-pólipos) e anormalidades do útero associadas ao uso de dietilestil-bestrol durante a gravidez (especialmente com idade gestacional de 7 a 12 semanas) foram descritas [1,67,68].

Foi estabelecido que a natureza do agente prejudicial e sua duração são importantes na formação do VNASG [57–59, 68, 118, 121]. Exposição especialmente perigosa em períodos críticos

307

Capítulo 3. Patologia do sistema reprodutivo durante sua formação

o desenvolvimento do desenvolvimento intra-uterino dos órgãos genitais. A. I. Brusilovsky [5] acredita que substâncias teratogênicas penetram constantemente na placenta, mas o feto reage a elas apenas em um período crítico. Deve-se lembrar que fatores prejudiciais podem atuar não apenas nos marcadores dos órgãos genitais, mas também em outros marcadores, em relação às quais as anormalidades do sistema urinário mais frequente, menos frequentemente os intestinos, os ossos, além de defeitos cardíacos congênitos e outros desvios desenvolvimento.

Os principais tipos de VNASG são: agenesia - a ausência de um órgão ou mesmo de seu embrião; aplasia - a ausência de uma parte do órgão; atresia é um subdesenvolvimento que surgiu uma segunda vez, mais frequentemente como resultado do processo inflamatório transferido no útero. O conceito de gin-atresia refere-se a várias partes do trato genital. Esse tipo de subdesenvolvimento geralmente ocorre em locais de estreitamento anatômico: a vulva, a abertura do hímen, a faringe externa e interna do útero, a boca das trompas de falópio. Heterotropia - a presença de células, grupos de células ou tecidos em outro órgão ou nas áreas do órgão em que eles normalmente estão ausentes. Hiperplasia - um órgão cresce para tamanhos excessivos devido a um aumento no número e no volume de células, enquanto a hiperfunção pode estar ausente. Hipoplasia - um subdesenvolvimento do órgão; distinguir entre hipoplasia simples e displásica (com violação da estrutura do órgão). Animação é a multiplicação (geralmente dobrando) de partes ou números de órgãos. Não separação (fusão) - a ausência de separação de órgãos ou de suas partes, normalmente existindo separadamente. Persistência é a preservação de estruturas rudimentares, que devem desaparecer no período pós-natal (reduzir). Estenose - estreitamento do canal ou abertura. Ectopia - o deslocamento de órgãos ou seu desenvolvimento nos locais onde não deveriam estar.

Ainda não existe uma classificação unificada do VNASG, mas no Ocidente eles costumam usar a classificação das anomalias de Muller proposta por Buttman e Gibbons em 1979 [671 (Tabela 3.3).

Tabela 3.3 Classificação de anomalias de Muller

3.3 Malformações genitais

O fim da mesa. 3.3 quadro 3.4

Classificação de malformações congênitas dos órgãos genitais

Capítulo 3. Patologia do sistema reprodutivo durante sua formação

De acordo com a embriologia, a colocação dos tratos genital e urinário ocorre nas mesmas datas gestacionais, portanto, é evidente que um fator prejudicial causa simultaneamente distúrbios na embriogênese do sistema urinário [67,68,118]. Foi estabelecido que um certo tipo de malformação do útero e da vagina em 100% dos casos é acompanhado pela mesma malformação do sistema urinário [67, 68, 118]. As combinações mais comuns de VNASG e anormalidades do sistema urinário são apresentadas na tabela. 3.5

Quadro 3.5

A proporção de malformações do útero e da vagina com defeitos do sistema urinário

Anomalias no desenvolvimento das trompas de falópio são raras. É descrita a duplicação (em um ou dois lados) das trompas de falópio, mas o subdesenvolvimento ou a ausência de uma trompa de falópio é mais frequentemente observado, o que, em regra, é combinado com uma anormalidade do útero. A atresia das trompas de falópio como defeito independente está praticamente ausente.

Anomalias no desenvolvimento do útero são mais frequentemente encontradas nas seguintes formas (Fig. 3.10).

Útero didelfus - duplicação do útero e da vagina quando isolados. Ambos os aparelhos genitais são separados por uma dobra transversal do peritônio. Essa anomalia se deve à falta de fusão das passagens de Muller, em cada lado há apenas um ovário. Ambos os útero geralmente funcionam bem.

310

3.3 Malformações genitais

Fig. 3.10 Opções para anomalias (de acordo com [20]): a - útero didelfus; b - bicornis bicollis; in - bicornis unicollis; g - septo-duplex; D - sub-septo; e - unicornis; g, h - bicornis (com chifre rudimentar); e bicornis rudimentarius solidus; k - subsepta da vagina

Capítulo 3. Patologia do sistema reprodutivo durante sua formação

Útero dúplex e vagina duplex - são formados da mesma maneira que o defeito anterior, mas em uma determinada área os órgãos tocam ou combinam com a camada fibro-muscular. Uma das rainhas é geralmente menor em tamanho e sua atividade funcional é reduzida. Na parte do útero com tamanho reduzido, pode-se observar atresia do hímen ou faringe uterina interna.

Útero bicornis bicollis - com esta anomalia, a consequência da não fusão dos movimentos de Muller é menos pronunciada. Há uma vagina comum, as seções restantes são bifurcadas. Geralmente, os órgãos são menos desenvolvidos, por um lado, do que por outro.

Útero bicornis unicollis - a duplicação é ainda menos pronunciada. Os movimentos de Müller se fundem apenas nas seções proximais. A bicornalidade uterina quase não se manifesta no útero introrsum acruatus simplex.

Útero bicornis com corneta rudimentar - um defeito causado por um atraso significativo no desenvolvimento de um dos movimentos de Muller. Se a trompa rudimentar tiver uma cavidade, então duas opções são possíveis: a cavidade se comunica ou não se comunica com o útero principal.

O útero unicornis é um útero de um chifre, esse defeito é raro e depende da derrota profunda de um dos movimentos de Muller. Esse útero pode ser totalmente funcional.

Útero bipartido sólido rudimentarius vagina solida (conhecido como síndrome de Roquitansky-Kuster). A vagina e o útero são representados por finos cordões do tecido conjuntivo.

Uma patologia uterina especial foi detectada durante a exposição intra-uterina ao dietilestilbestrol. Rh. Kaufman et al. [98] descreveram várias variedades da estrutura patológica do útero: em forma de T; Útero em forma de T com uma pequena cavidade; Em forma de T com pequena constrição e em forma de T com constrição (ver também [70]).

Anomalias no desenvolvimento da vagina. A agenesia vaginal é a principal ausência da vagina devido à perda das seções proximais das passagens de Muller pelo embrião. Como o terço inferior da vagina é formado a partir do seio urogenital, mesmo com agenesia vaginal, permanece um ligeiro aprofundamento entre os grandes lábios (não excedendo 2-3 cm).

A aplasia vaginal é a principal ausência de uma parte da vagina devido à cessação da formação da vagina.

312

3.3 Malformações genitais

um tubo de enchimento, que normalmente termina na 18ª semana de desenvolvimento fetal.

Atresia vaginal - infecção total ou parcial da vagina devido ao processo inflamatório durante o desenvolvimento fetal. Às vezes, na vagina atrás do hímen, um septo de vários comprimentos (subsepta da vagina, septos da vagina) e direções (transversais ou longitudinais) é formado.

Anomalias do hímen, vulva e genitália externa. Atresia (hímen oclusal) - ausência completa de um buraco. A deformação da vulva pode ocorrer se o ânus for aberto na vagina ou no vestíbulo.

Hiperplasia congênita ou hipertrofia da genitália externa é rara. A hipertrofia dos pequenos lábios pode ser o resultado da masturbação; hipertrofia hereditária também é possível.

Clínica As manifestações clínicas do VNASG durante a puberdade dependem da forma do defeito.

Todas as meninas e meninas com diferentes formas de VNASG têm um fenótipo feminino com características sexuais secundárias bem desenvolvidas e função ovariana normal.

Pode-se suspeitar de malformações como aplasia do útero e da vagina na ausência de menstruação aos 15 anos de idade ou mais ou com uma tentativa malsucedida de atividade sexual.
Malformações sem demora no sangue menstrual podem não ser diagnosticadas durante a puberdade.

Das numerosas malformações genitais, manifestações clínicas pronunciadas durante a puberdade têm apenas aquelas formas que são acompanhadas por um atraso na saída de sangue menstrual. Tais VNASG incluem:

1) atresia do hímen;

2) aplasia de parte ou de toda a vagina com um útero em funcionamento (aplasia da parte inferior, média, dois terços, aplasia de toda a vagina);

3) duplicação da vagina e do útero com aplasia parcial de uma das vaginas;

4) corneta uterina adicional de funcionamento fechado.

Essas formas de VNASG são clinicamente manifestadas pela primeira vez com o advento da função menstrual. As duas primeiras formas são caracterizadas por uma combinação de amenorréia falsa e dor. Para a terceira e quarta formas, acompanhadas de um atraso unilateral da

313

Capítulo 3. Patologia do sistema reprodutivo durante sua formação

fluxo menstrual, oligo-menorréia mais pronunciada.

Assim, para todos os VNASG acima, o principal sintoma é a dor, que aparece na puberdade. A natureza da dor tem características próprias com diferentes formas de VNASG. Nos casos de hímen atresia, quando a vagina é relativamente grande e capaz de se esticar, a síndrome da dor geralmente aparece com tamanhos significativos de hematocolpos. O tamanho dos hemato-colpos pode corresponder a uma gravidez de 6-7 meses. A dor está doendo na natureza, aumentando em intensidade; com um grande tamanho de hematokolpos, pode ser difícil urinar e defecar. Muitas vezes, com essa anomalia, ocorrem um hematômetro e um hematosalpinx.

Com aplasia de uma parte da vagina, a dor ocorre mais cedo e, quanto mais forte, menor a parte existente da vagina. A dor é cólica na natureza, sua intensidade aumenta. A princípio, a dor é repetida estritamente periodicamente e, com o tempo, torna-se constante. O tamanho dos hematocolpos nesses pacientes é menor do que na atresia do hímen, e o hematômetro e o hematosalpinx são frequentemente formados. Dificuldade em urinar e defecar não é observada.

Em pacientes com duplicação do útero e da vagina com aplasia parcial de uma das vaginas, a dor acompanha cada menstruação, com algomenorréia aparecendo com mais frequência vários meses após a menarca (após a formação de hematocolpos de um determinado tamanho). A natureza da dor é a mesma da aplasia do terço inferior da vagina, localização - geralmente a partir dos hematokolpos.

A dor mais pronunciada é com um chifre fechado adicional do útero. A dor é cólica, aparece após 4-6 meses. após a menarca e acompanha todas as menstruações.

Pela natureza da dor, pode-se suspeitar de uma certa patologia: a dor dolorida é característica para hematocolpos, cãibras - para hematômetros.

A síndrome da dor geralmente é causada não apenas por uma violação do fluxo menstrual, mas também pelo fato de que, de acordo com Goldstein [92], a endometriose é detectada em 70% das meninas com VNASH.

Às vezes há hipertermia (37,0-37,8 ° C) devido à absorção de substâncias pirogênicas de locais de acúmulo de sangue ou (com menos frequência) durante a supuração (hematocolposis, hematômetros, hematosalpinx).

314

3.3 Malformações genitais

Fig. 3.11 Punção da vagina na área do hímen coberto de vegetação (de acordo com [20])

O diagnóstico O diagnóstico não é difícil (se o médico se lembrar disso) apenas com atresia do hímen e aplasia de uma parte da vagina com um útero em funcionamento. Com a atresia do hímen, o exame da genitália externa é de crucial valor diagnóstico. Uma formação translúcida de tumor cianótico faz com que o hímen não perfurado inche e, às vezes, o períneo inteiro inche (Fig. 3.11). Nos casos de hímen atresia e aplasia de uma parte da vagina, um exame ginecológico revela uma formação semelhante a um tumor de uma consistência elástica (hematokolpos) na pelve ou além. Com atresia de hímen no pólo superior da formação do tumor, o útero pode ser palpado. Definição de

útero e apêndices com aplasia de uma parte da vagina são frequentemente difíceis na presença de hematômetros. A medição da vagina atrás do hímen por meio de uma sonda e a determinação da distância do pólo inferior dos hematocolpos ao seio ao longo do comprimento do dedo examinador ajudam a esclarecer o diagnóstico e determinar a extensão da aplasia.

Com aplasia de toda a vagina e um útero em funcionamento, um cordão é palpado no local da vagina, e um útero aumentado, denso e doloroso (hematômetro) é determinado na pelve. Às vezes, o hematosalpin é palpado no lado do útero.

Quando a vagina e o útero são duplicados com aplasia parcial de uma das vaginas, o útero e a formação de tumores, um pouco deslocados para um lado da pelve (hematocolpos), são determinados. O segundo útero geralmente não é detectado. Na vaginoscopia, observa-se um abaulamento de uma das paredes da vagina devido aos hematocolpos da segunda vagina parcialmente aplada.

Quando um chifre uterino em funcionamento fechado é adicionado, ele é palpado ao lado (intimamente adjacente ao útero, cujo tamanho corresponde à idade) como pequeno, denso e fortemente doloroso

315

Capítulo 3. Patologia do sistema reprodutivo durante sua formação

educação. Com a vaginoscopia, neste caso, desvios da norma não são detectados. Nos casos de aplasia da vagina e do útero, este último não é determinado durante o exame ginecológico ou o cordão é palpado em seu lugar. Deve-se lembrar que, com aplasia do útero, muitas vezes há um ponto distópico na pelve pequena, que no estudo pode ser confundido com uma formação de tumor.

O diagnóstico final, exceto nos casos de hímen atresia e aplasia de uma parte da vagina, sempre requer o uso de métodos de pesquisa adicionais. Na era pré-ultrassonográfica, as informações foram obtidas por meio de radiografia pélvica em condições de pneumoperitônio, urografia excretora (para determinar o estado do sistema urinário) e GHA. Este último é indicado se houver suspeita de útero bifurcado, presença de septo, com chifre rudimentar, se seu lúmen se comunicar com a cavidade uterina. Газовую гинекографию применяли при подозрении на аплазию влагалища и матки, полной аплазии влагалища и функционирующей матке, подозрении на гематосальпинкс.

За последнее десятилетие диагноз ВНАСГ в подростковом периоде устанавливают при УЗИ органов малого таза. Точность диагноза при УЗИ варьирует в зависимости от вида порока, однако при соответствующем опыте врача достигает 90-95 %. УЗИ может служить альтернативой лапароскопии [27, 85, 103] (рис. 3.12). Высокой

Fig. 3.12 Гематометра и гематокольпос больной Г., 14 лет (продольное сканирование):

1 — гематометра; 2 — гематокольпос; 3 — мочевой пузырь; 4 — передняя брюшная стенка

316

3.3 Аномалии развития половых органов

разрешающей способностью обладают такие современные методы диагностики, как компьютерная томография и ядерный магнитный резонанс. Последний является самым совершенным методом для диагностики ВНАСГ, ибо позволяет осуществить неинвазивную оценку органов и тканей без применения ионизирующей радиации или наполнения мочевого пузыря; можно получить изображение тканей тела матки, шейки и влагалища в любой проекции, а также оценить состояние эндометрия и лимфатических узлов. К сожалению, метод пока недоступен широкой сети здравоохранения 1107, 109].

Для уточнения диагноза иногда прибегают к лапароскопии и даже диагностическому чревосечению, которое при необходимости может быть превращено в лечебное: пластика, иссечение рудиментарных образований и т.п.

Генетические методы исследования имеют пока ограниченное значение. Тем не менее всегда следует обращать внимание на состояние репродуктивной системы у родственников I—II степени родства. Наблюдаемые изменения дерматоглифических показателей (увеличение общего гребешкового счета, количества завитков, выраженная исчерченность ладоней и другие характеристики) заставляют заподозрить нарушение на генном уровне, хотя кариоти-пирование, как правило, не выявляет патологии.

Для облегчения постановки диагноза формы ВАРГ у девушек можно рекомендовать признаки, приведенные в табл. 3.6

Лечение зависит от формы ВНАСГ. При седловидной, однорогой матке, удвоении матки и влагалища никакого лечения не требуется. Достаточно знать о характере аномалии, чтобы в репродуктивном периоде правильно вести беременность и роды.

При атрезии гимена оперативное вмешательство очень просто: рассекают крестообразным разрезом (2x2 см) гимен и после удаления основной части скопившейся крови формируют края отверстия одиночными кетгутовыми швами.

В случае частичной аплазии влагалища оперативное вмешательство дает хорошие результаты. Рекомендуется в качестве предоперационной подготовки производить в вытяжение тканей по методике Б. Ф. Шерстнева [55] с помощью кольпоэлонгатора. В результате такой подготовки улучшается исход оперативного вмешательства. При сокращении стенок растянутой верхней части влагалища не происходит натяжения в области операционных швов. Подобную процедуру можно рекомендовать при небольших размерах гемато-

317

Таблица 3.6 Дифференциально-диагностические признаки ВНАСГ у девушек

3.3 Аномалии развития половых органов

кольпоса и нерезко выраженном болевом синдроме. Наибольшие трудности возникают при лечении очень редкой патологии — аплазии всего влагалища при функционирующей матке, особенно если в такой матке отсутствует шейка или в шейке отсутствует цервикаль-ный канал. Попытки создания влагалища различными методами редко приводят к желаемым результатам, поэтому многие исследователи рекомендуют удалять матку в период полового созревания, а перед замужеством производить операцию создания искусственного влагалища. Некоторые хирурги добиваются успеха тем, что при создании влагалища освобождают влагалищную часть шейки матки, сохраняя функцию органа.

При аплазии матки и влагалища лечение сводится к созданию искусственного влагалища, причем нередко родители настаивают на операции сразу после установления диагноза. Нам представляется это не всегда целесообразным как ввиду сложности такой операции у девочек, так и потому, что пациентка должна осознавать необходимость кольпопоэза. Нередко оперативное вмешательство должно быть отложено до замужества [118].

Рудиментарный рог удаляют во время чревосечения.

При различных вариантах удвоения половых путей с нарушением оттока менструальной крови на стороне замкнутого влагалища делают максимальное иссечение его медиальной стенки с целью создания общего влагалища.

Previsão Во многих случаях после хирургической коррекции аномалии способность к зачатию не нарушается, но нередко возникают признаки угрожающего прерывания беременности. В родах почти всегда наблюдаются аномалии родовой деятельности склонность к гипотоническим кровотечениям. Аплазия матки и влагалища является абсолютной формой бесплодия.

Prevenção Учитывая генез ВНАСГ при подозрении на генные дефекты при бесплодном браке или наличии выраженных форм ВНАСГ у супругов меры профилактики сводятся к большой осторожности в рекомендации лечения бесплодия из-за высокого риска наследования пороков. Рациональное ведение беременности, предупреждение профвредностей, фармакологических и бытовых отравлений, инфекционных заболеваний и затяжных стрессовых ситуаций, особенно в первой половине беременности, — все это способно значительно снизить риск возникновения врожденных пороков развития гениталий.

319

<< Anterior Próximo >>
= Ir para o conteúdo do livro =

Аномалии развития половых органов

  1. Cirurgia para anomalias no desenvolvimento dos órgãos genitais femininos
    As operações nos órgãos genitais femininos em conexão com anormalidades do seu desenvolvimento podem ser divididas nos seguintes grupos: • operações nos órgãos genitais externos, hímen e vagina; • cirurgia para aplasia da vagina; • operações com malformações do útero e
  2. Anomalias no desenvolvimento dos órgãos genitais femininos
    O desenvolvimento embrionário dos órgãos genitais ocorre em estreita relação com o desenvolvimento do trato urinário e dos rins. Portanto, as anomalias de desenvolvimento desses dois sistemas são frequentemente encontradas simultaneamente. Почки развиваются по стадиям: предпочка (головная почка), первичная почка (вольфово тело) и окончательная почка. Todas essas formações provêm de cordões nefrogênicos localizados ao longo da coluna vertebral. Predpochka
  3. Malformações congênitas dos órgãos genitais
    Врожденные аномалии половых органов представляют собой многочисленные варианты пороков развития. При некоторых из них беременность невозможна (например, отсутствие матки). A gravidez pode ocorrer em mulheres com as seguintes anomalias do desenvolvimento do sistema reprodutivo: septo vaginal (septos vaginais), sela (útero introrsum arcuatus), bicórnio (útero bicornis) e unicórnio (útero).
  4. Anomalias na posição dos órgãos genitais femininos
    A posição normal dos órgãos genitais femininos é fornecida por um aparelho ligamentar suspenso, fixo e de suporte, apoio mútuo e regulação da pressão pelo diafragma, prensa abdominal e tônus ​​próprio (influências hormonais). A violação desses fatores por processos inflamatórios, lesões traumáticas ou tumores contribui e determina sua posição anormal.
  5. Cirurgia para anomalias da posição dos órgãos genitais
    As posições anormais dos órgãos genitais podem estar em relação aos planos horizontal e vertical. As posições erradas dos órgãos genitais no plano horizontal são freqüentemente causadas pelo prolapso e prolapso do útero e das paredes vaginais. Além disso, paralelamente a uma mudança na posição dos órgãos genitais, a localização dos órgãos adjacentes, especialmente a bexiga e o reto, é perturbada. Portanto,
  6. Distúrbios genitais e doença genital masculina
    Nos touros de fabricação, a disfunção da função sexual é mais frequentemente associada a distúrbios metabólicos e regulação neuroendócrina dos processos sexuais, que se manifesta em uma diminuição da atividade sexual, enfraquecimento ou inibição dos reflexos sexuais, espermiogênese, uma diminuição na quantidade e qualidade da produção de espermatozóides, bem como no uso inadequado e, em alguns casos, processos inflamatórios em
  7. Doenças sexualmente transmissíveis dos órgãos genitais femininos
    Um dos fenômenos negativos de nossa modernidade é o rápido aumento na frequência e no número de doenças sexualmente transmissíveis. Isso é facilitado por mudanças na orientação do comportamento sexual dos jovens, uso generalizado de contraceptivos, expansão do turismo internacional, prostituição, resistência de patógenos a agentes antibacterianos e ausência de etiopatogenética.
  8. Anomalias e doenças das pálpebras, órgãos lacrimais, conjuntiva
    Anomalias das pálpebras: coloboma das pálpebras; inversão, eversão do século; epicanthus, ptose, etc. Peculiaridades do curso em crianças. Tratamento. Doenças inflamatórias das pálpebras: cevada, calázio, blefarite. Características do curso em crianças. Tratamento. Anomalias no desenvolvimento de órgãos lacrimais: ausência de aberturas lacrimais; estreitamento dos túbulos lacrimais. Doenças inflamatórias dos órgãos lacrimais: dacrioadenite; canaliculite; dacriocistite. Funcionalidades
  9. Violação da puberdade durante a puberdade pelo tipo de virilização "desgastada"
    Quando uma síndrome viril ocorre na idade pré-púbere, a clínica geralmente é tão pronunciada que o diagnóstico de tais condições não causa dificuldades especiais. Na prática clínica, pacientes com virilização apagada são muito mais comuns, cujos sintomas aparecem na maioria dos pacientes após a menarca, devido à ativação do sistema hipotálamo - hipófise - ovário - adrenal. Em
  10. ANATOMIA DE ÓRGÃOS GENITAIS FÊMEAS
    O sistema reprodutivo feminino é constituído pelos órgãos genitais internos (genitais internos) localizados na cavidade pélvica e pelos órgãos genitais externos (genitais externos) localizados fora da pelve óssea. Os órgãos genitais internos incluem o útero, ovários, trompas de falópio e vagina. Os órgãos genitais externos incluem o púbis, os pequenos lábios, os pequenos lábios, o vestíbulo da vagina e o clitóris. Cavidade pélvica
  11. . Органическая патология половых органов
    Органическая патология половых органов при невынашивании беременности бывает двух видов: врожденная и приобретенная. ^ Врожденная патология (пороки развития): • пороки развития производных мюллеровых протоков; • ИЦН; • аномалии расхождения и ветвления маточных артерий. ^ Приобретенная патология: • ИЦН; • синдром Ашермана; • миома матки; • эндометриоз. Frequência
  12. Травмы половых органов
    Повреждения половых органов можно разделять по локализации (наружные половые органы, влагалище и матка, мочеполовые и кишечно-половые свищи), а также по причинам (родовые, при ушибах и ударах, падениях, а также при половых сношениях). Повреждения наружных половых органов, промежности и влагалища возникают при ушибах, падениях и при грубых половых сношениях. Чаще при этом образуются гематомы,
  13. Травма половых органов
    Насильственное нарушение целостности наружных и внутренних половых органов. Может быть химической, механической, огнестрельной и др., чаще связана с введением во влагалище инородных тел, повреждением острыми и тупыми предметами, с родоразрешающими операциями, абортом и др. ДИАГНОСТИКА Кровотечение или формирование гематомы в области наружных половых органов. Обильное кровотечение наблюдают
  14. Anatomia genital feminina
    Os órgãos genitais de uma mulher são geralmente divididos em externo e interno. Os órgãos genitais externos são o púbis, os pequenos lábios e os pequenos lábios, o clitóris, o vestíbulo da vagina e o hímen. Interno incluem a vagina, o útero, as trompas de falópio e os ovários. Genitália externa O púbis é uma área rica em tecido adiposo subcutâneo, coberta de maturidade peluda
  15. Anatomia genital feminina
    Os órgãos genitais externos são o púbis, os pequenos lábios e os pequenos lábios, o clitóris, o vestíbulo da vagina e o hímen. Interno incluem a vagina, o útero, as trompas de falópio e os ovários. A genitália externa. O púbis é uma área rica em tecido adiposo subcutâneo, na puberdade, coberta de pelos, de forma triangular, com a base voltada para cima. Grande
  16. Doenças inflamatórias genitais
    As doenças inflamatórias dos órgãos genitais femininos são a patologia ginecológica mais comum. Eles costumam se tornar a principal causa de infertilidade nas mulheres. Essas doenças, causadas por vários microorganismos, surgem como resultado de processos infecciosos na uretra, vulva (órgãos genitais externos da mulher), vagina, útero, trompas de falópio e ovários. Geralmente
  17. Cirurgia por danos nos órgãos genitais femininos e relacionados
    Na prática obstétrica e ginecológica, freqüentemente são cometidos danos nos órgãos genitais da mulher, no reto, em outras partes do intestino e nos órgãos do sistema urinário. Como regra, eles são detectados imediatamente durante a cirurgia ou o parto, o que requer a implementação imediata de procedimentos cirúrgicos apropriados. Muitas lesões são a causa da formação de fístulas de várias localizações.
Portal médico "MedguideBook" © 2014-2019
info@medicine-guidebook.com